quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Um país ao contrário

Pausa de cinco minutos na falta de vontade de escrever sobre a situação do país. Porque o país está mesmo ao contrário.

Toda a gente culpa os últimos 15 anos de governação socialista pelo estado do país e das finanças públicas. Dizem que o Primeiro-Ministro não tem carácter, mentiu ao país e, por causa disso, tomou tardiamente as medidas que se exigiam. Que é arrogante e autoritário. Que o aumento de impostos vai estrangular o possível crescimento económico. Que tem que se cortar mais na despesa pública. Que não há dinheiro para grandes obras públicas. Que este governo já está com os dias contados.
Mas, apesar de tudo isto, é o líder do PSD que pressionam para viabilizar um OE formulado por um governo incompetente. Dentro e fora do partido. Até os administradores dos principais bancos portugueses se vão encontrar com Passos Coelho para o convencer a aprovar. Mas está tudo doido em Portugal?
Porque é que não há pressão sobre o governo para fazer um OE aceitável? Porque é os senhores banqueiros não pedem audiências ao PM para o convencer a ceder e fazer um orçamento melhor? Se calhar porque a subida de impostos não os vai afectar a eles... Porque é que gente do PSD, cujo líder ainda tem credibilidade e não tem culpas no cartório, o pressiona, quando deviam ser os militantes do PS a exigir do seu Secretário-Geral alguma coerência e competência?
Uma nuvem de insanidade abateu-se no país. É a única explicação.

1 comentário:

Bruno disse...

Subscrevo em absoluto! Anda tudo louco...